Opinião • Postado em 26-11-2018

Rio Cuiabá pede socorro

Faissal Calil

/ Divulgação assessoria

Com tristeza, li a notícia de freezers com toneladas de pescado encontrados, em plena piracema, entre Santo Antonio do Leverger e Barão do Melgaço. 

Congratulo-me com a ação dos agentes do Estado, porém imagino ser apenas uma parcela do que ocorre por lá.

Nossos cursos d'água são atacados de forma inconsequente e até infame, diariamente.

Lenine de Campos Póvoas, historiador, autor de história Geral do Mato Grosso,

disse: "se não houvesse o Rio Cuiabá, a tentativa de povoar a região teria resultado em desastre".

Os Bandeirantes utilizavam as vias fluviais na busca de escravos e ouro. Em 1722, Miguel Sutil encontrou a maior jazida do mundo. Garantia-se, com isso o povoamento da região, estendendo-se da Prainha para o Coxipó. Paralelamente, as enchentes fertilizavam as terras. Nasciam os engenhos de açúcar e a criação de gado.

O Rio Cuiabá já perdeu 19 afluentes e tornou-se esgoto natural. E na medida que a população aumenta, o volume de água diminui e os ribeirinhos ignoram as leis. A UFMT concluiu um estudo com a pergunta: "Haverá àgua para tanta gente?"

Quando fui vereador propus uma lei proibindo o descarte de qualquer lixo em vias públicas, inclusive papel e cigarro, gerando multa aos infratores.

Pois toda  essa sujeira jogada pela população, desembocará no rio ou em seus afluentes. Sem dúvida, essa e outras medidas devem ser melhor ativadas.

Queremos um rio Tietê de São Paulo aqui? Há décadas de tentativas de  desassoreamento e despoluição, mas com pálidos resultados.

Opino como urgente uma campanha de conscientização popular e rigor na fiscalização da preservação do ambiente. Os habitantes devem zelar por sua própria sobrevivência e denunciar os infratores.     

Salvem os rios! Salvem a todos!

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!