Opinião • Postado em 26-12-2018

Retrospectiva e Projeções para 2019: O que esperarmos na área tributária!

Ederaldo Lima

/

O ano de 2018 está indo embora e com este levamos mais uma série de legislações para o acabou tributário, podemos começar falando da principal expectativa que foi a aprovação da reforma tributária (PEC 293-A/2004), isto foi discutido muito e trabalhado nos bastidores, mas não aconteceu, o que se tem é que ano eleitoral não se aprova leis/medidas impopulares.

Segundo o relator da proposta, o Deputado Hauly, a proposta está pronta e aguardando uma definição do novo Presidente, está aguardando a sua análise e encaminhamento para Plenário, para a partir dai seguir o trâmite normal para se tornar Lei. Como o novo Presidente está totalmente voltado para uma mudança drástica na maneira de gerir o país, e apresenta ideias inovadoras é bem provável que esta reforma não demore muito a ser aprovada.

Com a proposta, o país terá uma alíquota próxima de 25%, onde será uma alíquota única no Imposto Sobre Valor Agregado (IVA), onde isto estaria dividido na proporção de 2% para os Municípios, 9% para a União e 14% para os Estados, segundo o Prof. Leonardo Alvim, Procurador da Fazenda Nacional e participante do grupo que montou o projeto, favorecendo assim os estados.

Em 2018, aprovou-se o Decreto Lei 9.850/2018, que substituiu o Decreto Lei 3.000/99, que trouxe em seu texto as adequações das Leis Complementares 11.941/2009 e 12.973/2014, além de absorver as mudanças e entendimentos da Receita Federal do Brasil através das Instruções Normativas 1.634/2016 e 1.700/2017.

O novo regulamento do Imposto de Renda (Decreto 9.850/2018) contém 1.050 artigos, 46 a mais do que sua última edição, a edição do novo RIR trouxe muita surpresa a área tributária, não se imaginava tal alteração. Sua publicação, porém, cumpre a obrigação do Poder Executivo de reunir toda a legislação tributária em um regulamento único, como prevê o Código Tributário Nacional (CTN).

Desde a edição do último Regulamento, em 1999, foram editadas diversas normas esparsas sobre o imposto de renda, que este regulamento veio proporcionar solução, uma nova roupagem adequada às novas legislações.

Temos também, cada vez mais intenso o entendimento do STF e aguardando a modulação, isto gera uma grande expectativa na área jurídica e também para os profissionais da contabilidade e empresários, a modulação da decisão do STF, se vão abranger fatos passados ou somente poderá se aproveitarem desta situação os contribuintes (empresários) daqui para frente. Em relação a isto, ao todo são quase 10 mil processos aguardando respostas sobre este assunto, que se homologado retroativo traria um direito aos contribuintes estimados em 250 bilhões, uma situação muito complicada para o pais, segundo o Ibovespa.

Com estes cenários e tratamos dos principais e mais discutidos, mas com certeza não tratamos de todos, pois são muitos pontos em abertos e as projeções para 2019 na área tributária nos leva para um caminho de ainda mais questionamentos e suspense quanto a política econômica-tributária do novo Presidente.

Que venha 2019, que possamos trabalhar, que as empresas possam gerar empregos e renda para o país, que possam sobreviver e respirar para um novo momento e um novo cenário, Feliz Natal e um Próspero 2019 de muitas expectativas tributárias e na vida de todos.

Ederaldo Lima - Professor da UFMT e SENAI/FATEC, Mestre em Ciências Contábeis e Membro Associado do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - IBGC.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!