Opinião • Postado em 02-07-2014

O NOVO DETRAN-MT

Veneranda Acosta

/

Hoje começa a vigorar a nova estrutura organizacional do Detran-MT, que será muito mais eficaz e econômica para os cidadãos mato-grossenses.

Ao contrário do que diz o presidente da autarquia, essa reforma administrativa não foi feita pelo Sinetran-MT e sim pela própria presidência da entidade, conforme fora documentado. O que o sindicato fez foi defender esse projeto (que esbarrou em questões políticas), já que há mais de vinte anos, os servidores, contribuintes e usuários do Detran-MT sofrem com a bagunça administrativa em que se encontra a entidade, justamente por não haver regras de funcionamento que são descritos em um Regimento Interno e muito menos em um Manual de Procedimentos para padronizar as rotinas de trabalho, além é claro, de um visível cabide de empregos que lá havia, já que ninguém sabia quais eram, de fato, as funções dos cargos vigentes.

Após a organização e mobilização dos servidores do Detran-MT, foi possível demonstrarmos ao Governo do Estado a necessidade de tal reestruturação, que foi cuidadosamente avaliada por uma equipe técnica especializada nessa matéria, e sendo assim, foram extintos cargos em duplicidade de função ou que já não eram mais necessários dentro de uma nova organização da administração pública, de acordo com os parâmetros técnicos da Secretaria de Administração-SAD e da Auditoria Geral do Estado-AGE.

Nisso consiste o mérito do governador do Estado, em que mesmo sendo algo politicamente desgastante, principalmente num ano eleitoral, não hesitou em corrigir as distorções dos cargos existentes, para então organizar as rotinas de trabalho da autarquia, como há muito tempo devia ter sido feito. Isso proporcionará uma economia de mais de R$ 3 milhões/ano para os cofres públicos.

Obviamente que diversos “cabos eleitorais” questionaram a extinção desses cargos em pleno início de campanha, e certamente é isso o que mais perturba o grupo político que há 12 anos “administra” o Detran-MT, porém é necessário evoluir na mesma proporção em que a sociedade evoluiu nos últimos tempos, percebendo que não é mais aceitável, ações de patrimonialismo na Administração Pública.

Também é verdade que o referido grupo político tem reagido a essas mudanças com muita perseguição e assédio moral em relação àqueles que se mobilizaram por tal transformação, mas faz parte de um processo de evolução, que sem dúvidas, desembocarão em ações judiciais.

A despeito de qualquer retaliação ou perseguição política, a sociedade pode ter certeza que os servidores do Detran-MT estão convictos das mudanças necessárias que ainda precisam ser feitas (e lutarão por isso), para que tenhamos um Detran decente e condizente com as altas taxas cobradas, que diga-se de passagem, ficaram 10% mais caras desde ontem, fazendo com que a arrecadação da entidade suba para aproximadamente R$ 1,5 milhão/dia.

Por fim, esperamos que a gestão da autarquia supere o desconforto inicial dessas adaptações e não fique choramingando eternamente sobre a nova estrutura organizacional. Vida nova ao Detran-MT!!!

Veneranda Acosta é servidora do Detran-MT e presidente do SINETRAN-MT.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!