POLÍTICA • Postado em 12-02-2019

Prefeito é afastado e vereadores são presos acusados por envolvimento em esquema

Aline Brito

Da redação

/ AMM/Divulgação

O prefeito de Rondolândia (1.600 km de Cuiabá), Agnaldo Rodrigues de Carvalho (PP) foi afastado do cargo e três vereadores foram presos acusados de fazerem parte de um esquema de mensalinho.

Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), além do afastamento e da prisão dos parlamentares, foi determinado também o bloqueio dos bens dos envolvidos.

Na decisão, a Justiça decretou a prisão preventiva de três vereadores do município: Diones Miranda Carvalho, Lígia Neiva e Joaquim da Cruz pela prática do chamado 'mensalinho', em ação penal impetrada contra os três legisladores.

Dois deles, Lígia Neiva e Joaquim da Cruz, já foram presos. A primeira foi presa na noite de segunda-feira (11), na Câmara Municipal e o segundo se entregou nesta terça-feira.

Diones Miranda Carvalho é o presidente da casa legislativa. A Câmara de Rondolândia ainda não se manifestou sobre a decisão da Justiça.

Na outra ação, de improbidade administrativa, a Justiça deferiu o afastamento do prefeito, além do bloqueio de bens até o valor de R$ 100 mil.

Nesta mesma ação, a Justiça determinou o afastamento das funções de vereador dos três legisladores que tiveram a prisão decretada, bem como a indisponibilidade de bens até o patamar de R$ 24 mil.

Tanto o prefeito, quanto os vereadores estão proibidos de acessarem às dependências do Legislativo e do Executivo, sem prejuízo de salário, durante a investigação.

Em nota, a Polícia Civil disse que o delegado Gilson Silveira afirmou que o presidente da casa legislativa é considerado foragido, pois ao ter percebido a aproximação dos policiais civis fugiu do local e não foi localizado.

Os envolvidos serão apresentados ao Poder Judiciário da Comarca de Comodoro, a 677 km de Cuiabá, para audiência de custódia.

Investigação

De acordo com os autos, desde que assumiu a Prefeitura de Rondolândia, em 2017, o prefeito sofreu diversos entraves na administração de um grupo de vereadores.

Os parlamentares cobravam espaço no Executivo, com a nomeação de secretários por eles indicados, alojando cabos eleitorais em cargos comissionados, bem como o pagamento de determinada quantia em dinheiro a título de 'apoio' político junto ao Parlamento municipal.

Em depoimento prestado ao MP, o prefeito alegou que aceitou a pressão desse grupo de vereadores de modo que, sistematicamente entregava-lhes pessoalmente ou por intermédio de outras pessoas dinheiro para manter sua 'sustentabilidade política' no município.

O MP diz que criou-se em Rondolândia o famigerado sistema de 'mensalinhos', que nada mais é do que uma prática de compra de apoio político pelo prefeito de determinados vereadores.

Em 2018 os vereadores cassaram o mandado do prefeito após denúncias de contratações duvidosas, licitações e irregularidades no INSS dos servidores municipais. Naquela ocasião o prefeito havia alegado que era extorquido pelos vereadores desde o início do mandato.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!