POLÍTICA • Postado em 02-10-2017

João Emanuel e mais três advogados são expulsos da OAB-MT

Aline Brito

/ Reprodução

O ex-vereador e ex-presidente da Câmara de Cuiabá João Emanuel e mais três advogados foram expulsos do quadro da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso (OAB-MT), nesta sexta-feira (29).

A decisão foi proferida pelo Conselho Pleno da OAB-MT e trata-se da sanção máxima prevista aos profissionais da advocacia que infringem a conduta ética prevista na Lei 8.906/94.

João Emanuel está preso há mais de um ano no Centro de Custódia da Capital (CCC). Ele é réu em diversas ações criminais ligadas às operações Castelo de Areia, que trata sobre esquema milionário de estelionato, Aprendiz e Assepsia, referente a crimes de desvio de dinheiro da Câmara, lavagem de dinheiro entre outros crimes.

Os outros advogados expulsos são Max Weiser Mendonça, Everson Duarte da Costa e Iacy de Figueiredo Fontoura.

Max Weiser foi alvo da operação Asafe, deflagrada em maio de 2010 pela Polícia Federal, que apurava um esquema de venda de sentenças por juízes federais. O advogado teria comprado uma dessas sentenças pelo preço de R$ 50 mil a favor de um cliente.

Everson Duarte teria sido expulso pela acusação de ter se apropriado indevidamente de dinheiro de clientes e Iacy por não possuir idoneidade moral para exercer a profissão. Ela já havia sofrido uma sanção em junho de 2015, quando ficou suspensa por 30 dias e recebeu multa de uma anuidade.

Os processos tramitam no Tribunal de Ética e Disciplina (TED) e ainda cabe recurso. No entanto, mesmo que recorram da decisão os quatro já estão proibidos de praticar a advocacia. 

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!