POLÍTICA • Postado em 14-03-2019

Câmara aprova taxação do Uber em Cuiabá e vereadores discutem durante votação

Patricia Xavier

Da redação

/ Reprodução

Em uma sessão conturbada, devido às divergências de opiniões, os vereadores de Cuiabá aprovaram a taxação dos aplicativos de transporte, como Uber e 99Pop, na capital. Os votos foram: 13 a favor e oito contra. A sessão ocorreu na manhã desta quinta-feira (13).

A aprovação estipula a cobrança de R$ 0,05 centavos por quilômetro rodado e os condutores pagarão R$ 155 de taxa de vistoria nos veículos que desempenham este tipo de trabalho.

Taxistas da capital ameaçaram fazer uma paralisação, caso o projeto não fosse aprovado. Na sessão, dois vereados quase chegaram às vias de fato.

Contrário à taxação, o vereador Abílio Júnior (PSC) questionou como será feita a fiscalização da vistoria nos veículos. “Se me pegar como um passageiro, junto com um Uber, vou falar que não sou cliente, que estou pegando carona e dando uma ajuda no combustível. Não vou ajudar a sustentar uma máfia de empresa de táxi. Os aplicativos não vão morrer e a prefeitura não tem capacidade de fiscalizar. Quem faz vistoria de veículos privados é o Departamento Estadual de Trânsito (Detran)”, disparou.

Também contrário, o vereador Diego Guimarães (PP), questionou os taxistas sobre os benefícios que poderiam ganhar com estas discussões. “Vocês estão perdendo oportunidade para melhorar o serviço de vocês. Criaram regras e taxas que vão prejudicar outra categoria e vai deixar vocês no mesmo lugar. Falei diversas vezes que sou parceiro para melhorar. Mas ao invés de procurar melhoria para vocês, acabaram prejudicando os outros. Ninguém segura a tecnologia. O que vai ser feito hoje é retrógrado”, disse.

O vereador Renivaldo Nascimento (PSDB), que se envolveu em uma confusão com o vereador Abílio Júnior durante a sessão, votou favorável. “Cuiabá deixa de receber R$ 400 mil por mês e este dinheiro está indo para a cidade de São Paulo, haja vista que quem recolhe é a plataforma Uber. Uma mentira danada é de alguns vereadores, já que não está se criando nenhuma tributação que já não seja pago pela plataforma para o município paulista”, ressaltou.

Os aplicativos são regulamentados nacionalmente pelo Congresso, em Brasília. Mas, cada capital pode regularizá-los de maneira individual, criando leis para funcionamento das caronas na cidade. Em Cuiabá, o Uber começou a operar em novembro de 2016.

Confusão

Durante a votação da taxação do Uber, o vereador de Cuiabá, Renivaldo Nascimento (PSDB) empurrou o colega de parlamento, Abílio Júnior (PSC).

A sessão foi marcada por muito bate-boca entre vereadores e pressão da categoria de motoristas e taxistas, que acompanham nas galerias.

Abílio é contra o projeto, já Renivaldo votou a favor.

Também houve confusão na galeria do Plenário entre motoristas de Uber e taxistas que acompanhavam a votação. O presidente da Casa, vereador Misael Galvão (PSB) chegou a suspender a sessão e chamou a Polícia Militar para conter os ânimos e manter a ordem na galeria.

 

 

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!