POLÍTICA • Postado em 08-11-2018

Após eleições, Mauro Mendes ainda deve R$ 1,3 milhão

Aline Brito

Da redação

/ Ahmad Jarrah

O governador eleito Mauro Mendes (DEM) ainda possui dívidas de campanha no valor de  R$ 1,3 milhão, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que encerou na terça-feira (06) o prazo para prestação de contas.

Conforme o órgão, Mendes arrecadou R$ 4,1 milhões e gastou mais de R$ 5,4 milhões, durante os 45 dias de campanha eleitoral.

Segundo a prestação de contas do governador eleito, a maior parte das despesas foram concentradas para produção de propagandas no rádio e na TV. Com as peças publicitárias Mauro gastou R$ 2,5 milhões. Desse valor, R$ 1,1 milhão ainda precisa ser pago.

Também não foram pagas as despesas com transporte ou deslocamento, que totalizou um gasto de R$ 343 mil, dos quais R$ 147 mil ainda não foram pagos. Já os serviços prestados por terceiros custou R$ 542 mil e a dívida ficou em R$ 120 mil.

Ainda segundo a prestação de contas, do total em despesas contratadas durante a campanha, R$ 1,7 milhão foi pago pelo Fundo Especial de Financiamento de Campanha, outros R$ 200 mil foram quitadas com recursos de doações partidárias e pouco mais de R$ 2 milhões pagos foram com outros recursos.

Arrecadação

Ao todo, Mendes conseguiu arrecadar R$ 4,1 milhões. Os maiores valores doados vieram da Direção Nacional do Democratas que doou 2 milhões, e do seu candidato a vice, Otaviano Pivetta, que doou R$ 867 mil.

Já a Direção Estadual do Democratas doou R$ 267 mil e o empresário Orcival Gouveia Guimarães também fez uma doação de R$ 200 mil.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!