CIDADES • Postado em 06-03-2018

Policial e esposa são mortos a facadas e filho é preso como suspeito do crime

Patricia Xavier

Da redação

/ Reprodução

O policial civil Noraíde Manoel Morais, de 64 anos, e a esposa dele Elza Alves, 63 anos, foram assassinados a facadas no final da tarde de segunda-feira (05), no sitio que moravam, no Rio Jauru, em Glória D'Oeste (a 312 km de Cuiabá).

Segundo a polícia local, o filho do casal, Adriano Alves Manoel, de 33 anos, foi preso por ser o principal suspeito de ter cometido o crime.

O filho disse à polícia que encontrou os pais dentro de casa, já com os ferimentos de faca, quando voltou de uma pescaria. De acordo com Adriano, os corpos apresentavam perfurações no tórax e abdômen.

As vítimas ainda estavam respirando quando foram socorridas por Adriano, porém, não conseguiram falar como o crime aconteceu. O filho disse aos militares que o casal estava sozinho no local onde o crime foi cometido.

Os dois foram levados para um posto de saúde do município de Porto Esperidião, mas o casal não resistiu aos ferimentos e morreu.

Após o crime, o filho das vítimas foi detido. Ele nega que tenha matado os pais. Mas, segundo a polícia, nada foi roubado no sítio, nem a arma do policial e a caminhonete da família. 

O suspeito do crime é usuário de drogas e usava remédios controlados. Já foi internado em clínicas de reabilitação por várias vezes. Por causa disso, tinha conflitos constantes com a família.

Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) para exames de necropsia. A motivação do duplo homicídio é investigada pela Polícia Civil.

 

 

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!