CIDADES • Postado em 07-01-2019

Ministério do Turismo custeou 80% dos custos do Réveillon da Orla

Assessoria

/ Reprodução

Com repasse de mais de R$ 500 mil, o Ministério do Turismo (MTur) possibilitou a contratação de quatro shows nacionais e garantiu a realização do Réveillon da Orla do Porto pela Prefeitura de Cuiabá.

Paralamas do Sucesso, Michel Teló, Gino e Geno e Sambô embalaram as noites das cerca de 70 mil pessoas que passaram por ali entre os dias 29 de dezembro e 01 de janeiro de 2019.

Os recursos foram repassados à Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo e correspondem a 80% do valor total investido no evento. A porcentagem restante foi custeada pela Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (ALMT), por meio de emenda impositiva e por empresas privadas que patrocinaram a festa.

“À Prefeitura coube garantir a organização e infraestrutura do réveillon, o que representa um gasto irrisório diante do que foi proporcionado pelo Ministério. É importante destacar que o pagamento é feito por nós, mas com o repasse de verba feito pelo órgão. Portanto, nenhum centavo foi retirado dos cofres da gestão para pagar os artistas”. explica o titular da Pasta, Francisco Vuolo.

Os cantores e bandas contemplados estão regularmente cadastrados junto ao MTur, que avalia os preços cobrados por apresentação e os submete a um processo de inexigibilidade, viabilizando a contratação.

No caso dos que se apresentaram na Capital, os valores pagos foram de R$ 200 mil para Michel Teló; R$ 160 mil para Paralamas do Sucesso; R$ 130 mil para Gino e Geno; e R$ 95 mil para Sambô.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!