CIDADES • Postado em 11-07-2019

'Ela mereceu morrer, não me arrependo', diz homem que arrancou coração da tia

Aline Brito

Da redação

/ Reprodução

Lumar Costa da Silva, de 28 anos, réu confesso do assassinato da tia Maria Zélia da Silva, de 55 anos, disse nesta quarta-feira (10), durante interrogatório na Delegacia de Sorriso (a 420 km de Cuiabá), que a vítima merecia morrer.

O crime aconteceu em Sorriso no dia último dia 02. Lumar matou a tia com uma faca, arrancou o coração e levou dentro de uma sacola para a filha da vítima.

Após o interrogatório, Lumar falou com a imprensa por cerca de 10 minutos, como mostra o vídeo.

No vídeo o homem afirma que estava sob o efeito de drogas quando cometeu o crime, ele teria usado LSD momentos antes.

Lumar disse ainda que matou a tia porque ela mereceu e que não se arrepende. Durante a entrevista, o assassino afirmou que “ouve vozes do Universo” e que queria fazer uma revolução.

“Eu ouço o universo. O universo fala comigo sempre. A voz falava pra mim, mata ela, mata ela logo. Ela tem que morrer, ela tem que morrer", disse Lumar.

“Eu tenho a declarar que eu matei ela mesmo. Não me arrependo de ter matado; ela mereceu morrer, porque ela estava me sacaneando, falando pelas costas, me chamando de veado, me difamando para todo mundo, me chamando de drogado, arrumando confusão para mim no bairro e eu só queria paz, mas ela ficou teimando em fazer isso”, afirma o assassino.

Lumar foi indiciado homicídio qualificado por motivo fútil.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!