CIDADES • Postado em 17-04-2019

Comissão da Câmara deve continuar debate sobre Previdência hoje

G1

/ Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Após pouco mais de 12 horas de discussão, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara encerrou às 23h28 desta terça-feira (16) o debate sobre a reforma da Previdência. Cerca de 90 deputados discursaram (55 contrários; 19 favoráveis; 14 líderes).

Uma nova sessão foi convocada para as 10h desta quarta (17), e o objetivo dos deputados a favor da reforma é votar a proposta antes mesmo do feriado. Parlamentares contrários ao projeto, contudo, tentarão adiar a votação.

Inicialmente, a votação estava prevista para esta quarta (17), mas um acordo adiou para a próxima semana. Aliados do governo querem que a votação volte a ser nesta quarta.

Cabe à CCJ da Câmara analisar se a proposta do governo Jair Bolsonaro está de acordo com a Constituição. Se a chamada admissibilidade for aprovada, o texto seguirá para uma comissão especial, responsável por analisar o mérito (conteúdo), para, então, o plenário da Câmara votar a reforma.

Por se tratar de emenda à Constituição, a PEC da reforma da Previdência precisará do apoio de pelo menos três quintos dos deputados (308 dos 513), em dois turnos de votação para seguir para o Senado.

Discussão
 
Vários deputados se inscreveram para debater a proposta nesta terça-feira. No entanto, nem todos falaram sobre o projeto.

Isso porque, em um determinado momento da reunião, parlamentares favoráveis à proposta – principalmente os do PSL, partido de Bolsonaro – abriram mão de discursar para tentar agilizar o andamento dos trabalhos.

Deputados contrários ao texto, porém, mantiveram as inscrições e fizeram discursos criticando a reforma apresentada pelo governo.

Indefinição
 
Parlamentares aliados ao governo defendem a aprovação do relatório de Marcelo Freitas (PSL-MG) sem modificações.

No entanto, ainda há indefinição em relação a alguns pontos do texto e parte dos integrantes da CCJ defende que esses trechos sejam alterados já na CCJ, antes mesmo de a comissão especial discutir a reforma.
 
A reforma
 
Proposta pelo governo Bolsonaro, a reforma da Previdência promove alteração em várias regras de aposentadoria.

Entre as mudanças, está a criação de uma idade mínima para um trabalhador se aposentar.

Para mulheres, a idade mínima de aposentadoria será de 62 anos, e para homens, de 65. Beneficiários terão que contribuir por um mínimo de 20 anos, se a PEC for aprovada sem mudanças.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!