CIDADES • Postado em 12-02-2019

Combate a venda de produtos falsificados é intensificado pelo Procon Municipal da capital

Assessoria

/

O Procon Municipal de Cuiabá tem feito várias ações no sentido de combater a venda de produtos piratas na capital. O trabalho é feito, na maioria das vezes, em parceria com a Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon).

De acordo com o secretário adjunto de Defesa do Consumidor, Gustavo Costa, as operações de fiscalização são deflagradas quase sempre após denúncias, grande parte delas, anônimas. “Após essas denúncias, nós vamos até o estabelecimento ou local onde estão sendo comercializados os produtos e averiguamos, caso comprovada a venda irregular, os produtos são apreendidos e levados para um lugar apropriado. Quem está fazendo a venda irregular também é apreendido, sendo que ao Procon Municipal cabe toda parte administrativa, ou seja, será aberto um processo e a empresa será notificada, tendo dez dias para apresentar defesa”, comentou.

Segundo ainda Costa, os fiscais do Procon também estão averiguando se os comerciantes estão emitindo nota ou cupom fiscal. “Se o produto é contrabandeado eles não emitem nota nem cupom fiscal, o que prejudica a arrecadação do município”, disse ele, alertando ainda que as pessoas devem ficar atentas e logo desconfiar ao se depararem com produtos sendo vendidos a preços bem diferentes do que regularmente são encontrados no mercado.

O secretário adjunto de Defesa do Consumidor afirmou que outras operações devem ser deflagradas nos próximos meses com objetivo de minimizar o problema. “Eliminar talvez não consigamos, mas enquanto estivermos à frente da secretaria, esse trabalho será constante, nós vamos combater a pirataria e a falta de emissão de nota e cupom fiscal”.

Para a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá), que é totalmente favorável a iniciativa, somente através deste trabalho será possível se combater o comércio ilegal. Conforme a entidade ainda, a população deve ter conscientização que ao adquirirem produtos ilegais podem ter problemas, além de estarem contribuindo com a prática de um crime. “Muitas vezes, o consumidor se sente atraído por preços baixos. Por trás disso, pode estar o contrabando de mercadorias e a falsificação, configurando crime tanto para quem vende quanto para quem compra”, afirmou o presidente da entidade, Nelson Soares Junior.

Soares aproveitou ainda para enaltecer o trabalho realizado pelo Procon Municipal da capital. “Nós percebemos que estamos tendo muitas apreensões nas últimas semanas, isso significa que o Procon tem se preocupado com essa questão e tem atuado, então, nossos sinceros agradecimentos em nome dos lojistas que trabalham de forma séria e honesta, pagando seus impostos e gerando recursos para o município investir em áreas primordiais como saúde e educação. Esperamos novos trabalhos nesse sentido”, finalizou ele.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!