CIDADES • Postado em 12-08-2019

Após quase 80 dias de greve, professores da rede estadual retornam as salas aulas

Aline Brito

Da redação

/ Sintep-MT

Professores da rede estadual de educação encerraram a greve deflagrada em todo estado, depois de 76 dias de paralisação. A decisão foi tomada em assembleia geral realizada pela categoria na sexta-feira (09), em Cuiabá. As aulas serão retomadas na quarta-feira (14).

Os profissionais da educação haviam paralisado as atividades no dia 27 de maio.

Um novo calendário das aulas deve ser apresentado. O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep) afirmou que o ano letivo nas escolas deve ser encerrado somente em 2020.

Apesar da suspensão, os professores continuam em estado de greve e podem paralisar as atividades a qualquer momento.

A categoria acatou parcialmente a proposta feita pelo governo estadual, que propôs estabelecer uma regra clara quanto ao pagamento de RGA, a partir do ano que vem. No entanto, eles querem garantia de que a lei não será questionada judicialmente após voltarem ao trabalho.

Os profissionais querem garantia de que a lei não será questionada judicialmente após voltarem ao trabalho.

Além disso, a categoria quer que a proposta seja cumprida integralmente durante a gestão do governador Mauro Mendes (DEM) e que seja apresentado um cronograma do aumento salarial para 2020 e a devolução imediata dos valores do corte de ponto.

O Poder Judiciário chegou a declarar a ilegalidade da greve, mas a categoria decidiu não acatar a decisão.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!