CIDADES • Postado em 18-03-2019

Antes de morrer, idosa consegue reconhecer homem que a estuprou

Patricia Xavier

Da redação

/ PM-MT

Uma idosa de 92 anos morreu após ser espancada e estuprada dentro de casa na madrugada de domingo (17), no bairro Jardim Paraná, em Nobres (122 km de Cuiabá). O suspeito de cometer o crime foi identificado como Alexandro Antunes de Oliveira da Silva, 29 anos, conhecido como ‘Pacu’ ou ‘Maguila’.

De acordo com o boletim de ocorrência, um filho foi até a casa da mãe, que é vizinha, e a encontrou caída no chão com vários ferimentos pelo corpo.

Ela foi socorrida por uma ambulância e encaminhada para uma unidade de saúde da cidade. A vítima ainda conseguiu confirmar as características do estuprador. Após ser preso, ela ainda conseguiu reconhecer Alexandro, que dias antes prestou serviço de pintura na casa dela.

Mesmo internada, o estado de saúde da idosa piorou e ela não resistiu e morreu.

Em checagem feita pelo serviço de monitoramento, ficou constatado que Alexandro ficou por mais de duas horas na casa da idosa no dia do estupro.

Ele foi preso em flagrante pelo crime de estupro e também deve responder por homicídio.

Alexandro cumpria pena por roubos à mão armada e furto, também ocorridos no município. Em 2010 ele foi acusado de tentar estuprar uma mulher ao invadir a casa dela, porém foi absolvido, pois, à época, o juiz que julgava o caso, entendeu que não havia provas que comprovassem o estupro.

O caso é investigado pela Polícia Civil.

Deixe seu comentário

O MT Mais Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais à terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluidos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido, valorize esse espaço democrático.
Agradecemos a participação!

Seja o primeiro a comentar essa postagem!